Blog

No blog do Grupo Vila, confira textos sobre como lidar com o luto, histórias inspiradoras e muito mais.

novidade

Criado em
em Novidades

Cemitérios que viraram pontos turísticos

Pode até parecer um pouco mórbido para algumas pessoas visitar um lugar que abriga sepulturas, túmulos e tumbas, mas a verdade é que em vários países os cemitérios se tornaram pontos turísticos. Seja pela sua arquitetura diferenciada ou, principalmente, pelas personalidades que ali estão enterradas, o local que abriga os mortos também é sinônimo de arte, beleza, história e curiosidades. Por isso, listamos aqui cinco cemitérios famosos no mundo que você deveria pensar em conhecer na sua próxima viagem. Confira:

O cemitério de Paris é o mais visitado do mundo. O local é famoso por abrigar o túmulo de celebridades que marcaram suas épocas. São cerca de 70 mil sepulturas, incluindo as de Fréderic Chopin, Edith Piaf, Delacroix, Molière, Balzac, Maria Callas. Um dos mais visitados é o do ex-vocalista do The Doors, Jim Morrison. Oscar Wilde também está enterrado no local, bem como Allan Kardec, considerado pai do espiritismo. Para chegar ao cemitério a dica é pegar a linhas 2 ou 3 do metrô e saltar na estação que leva o nome do cemitério: Père Lachaise. Há mapas afixados em toda área para facilitar a localização dos túmulos.

Fundado em 1822, o Cemitério da Recoleta, em Buenos Aires, é famoso principalmente por conta do túmulo de Eva Perón, popularmente conhecida como Evita, ex-primeira dama da Argentina. No cemitério, que fica no bairro que lhe dá o nome, também estão enterrados vários ex-presidentes argentinos e figuras da política do país. Instalado na Junín 1760, as visitas são monitoradas em espanhol, inglês e italiano, sempre de terça a domingo.

Se Paris tem o cemitério mais visitado do mundo, a Romênia possui o mais alegre. Localizado próximo à fronteira com a Ucrânia, o Cimitirului Vesel é um dos lugares mais originais e inusitados que existe. Repleto de cores vivas com predominância do azul, o “cemitério alegre” conta, por meio de imagens esculpidas em madeira nas lápides, uma breve história de vida dos que ali foram enterrados em forma de poemas. O objetivo é que todos os membros da comunidade sejam mantidos vivos por meio das pinturas e dos epitáfios, sintetizando a forma como viveram ou morreram.

O cemitério é segundo maior da Europa e existe desde 1874. Localizado na região central de Viena, abriga a nata da música clássica como Beethoven, Brahms, Franz Schubert e Johann Strauss, além de outros 3 milhões de habitantes. De tão grande, tem sua própria linha de ônibus rodando no local. Um fato curioso lá é que não se sabe exatamente onde o corpo de Mozart foi colocado originalmente, já que ele morreu pobre, e sua mulher não teve condições para pagar um jazigo, tendo sido ele sepultado em uma vala coletiva. A lápide que se encontra no cemitério central é apenas simbólica. Ainda sobre o local, uma dica é chegar pelo portão 2, mas há outras entradas também.  Logo na entrada, tem uma alameda que dá acesso à igreja de São Carlos Borromeu, mas antes passará por belíssimas lápides de muitos famosos.

O Brasil também tem sua cota de cemitérios com grande número de visitação. É em São Paulo, mais precisamente no Cemitério da Consolação, estão sepultados grandes nomes do nosso país. O mais antigo cemitério da cidade tem os túmulos dos modernistas Tarsila do Amaral, Oswald de Andrade e Mário de Andrade, além do escritor Monteiro Lobato, dos ex-presidentes Washington Luís e Campos Sales e o maior mausoléu da América Latina, o da família Matarazzo. Lá também estão personalidades como a Marquesa de Santos e o escritor Monteiro Lobato. É possível agendar visita guiada pelo projeto Arte Tumular.

O que fazer em caso de morte

O Grupo Vila está pronto para te ajudar. Tire todas as suas dúvidas e saiba o que fazer em caso de morte de um ente querido.

Lidando com o luto de um colega de trabalho

28 de novembro de 2017

a1

Suicídio: é importante refletir a perda para superá-la

18 de setembro de 2017

casal-idosos5-800x420

Dia dos Namorados: viúvos contam como superaram a perda do cônjuge e voltaram a amar

12 de junho de 2017

etiqueta

Confira algumas dicas de etiqueta em situações de Luto

16 de setembro de 2016